Um conceito para INOVAÇÃO?

Segundo o dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, inovação é a concepção, proposição e/ou realização de algo novo, é a novidade ou a coisa nova que está por vir. O verbo inovar sugere que façamos algo de modo diferente do que era feito antes. Essas ideias iniciais mostram como pode ser simples inovar, construir, fazer inovação. Se algo não está dando certo porque a maneira de fazer é sempre a mesma, inovar seria experimentar um caminho diferente dos já conhecidos. Arriscando, inclusive, as certezas adquiridas com as experiências anteriores; assumir os riscos novos, mudar os conceitos já conhecidos com o objetivo de escrever um caminho melhor, mais bonito e, quem sabe até, mais colorido. Por que se somos humanos, buscamos inovação sempre para vivermos melhor e, sobretudo, mais felizes.

 

Não há outra razão para os inovadores, senão buscar a felicidade. E ao pensarmos dessa forma, é inevitável associarmos atitudes inovadoras a uma nova forma de pensarmos educação. Esta será sempre caminho e fim para que aquela se materialize. Como pensar em inovação se não utilizamos os efeitos próprios das atitudes inovadoras para que as pessoas desejem transpirar inovação? Sim, porque os inovadores, em qualquer nível ou idade, acabam, inevitavelmente, explicando para os outros porque pensaram aquele caminho de uma forma que ninguém havia pensado. E, ao fazerem essa transposição para o outro, emanam uma energia diferente, invariavelmente; transpiram mais amor porque ao falarem da ideia inovadora conseguem projetá-la aos outros através do brilho de seus olhos. Nesse momento, educam, até mesmo sem saber.

 

Educadores inovadores são pessoas inquietas cujos olhos estão sempre desafiando as leis da Física; a biologia dos corpos dos inovadores é outra, pois transpiração necessidade urgente de mudança. Daí por que na órbita dos inovadores gravitam nomes como transição, movimento, metamorfose, variação, evolução, inovação, transformação, movimento; e as ações dos inovadores serão sempre no sentido do mudar, crescer, transformar, virar, alterar, diversificar, transfigurar, permutar, apresentar outro cenário, virar uma nova página e… depois fazer tudo de novo, mas… de outra forma, claro. E o próprio educador recomeça o ciclo renovado, ou melhor: inovado, mudado compreendendo a ele próprio como um ser mutável, modificável porque inovador.

 

Não, inovar não tem compromisso com o já conhecido, a não ser para torná-lo melhor. Esse aspecto parece mesmo ser inerente à palavra inovação: mudar sim o caminho, mas na esperança de aperfeiçoar os resultados esperados enquanto aquele que se propõe inovador se enriquece e enriquece, positivamente, aos seus pares.

 

Luzania Alves Wink